Agende sua avaliação

Cárie oculta: o que é, quais as causas e como tratar

Tempo de leitura 9 min

Muitos pacientes sabem que a alimentação rica em açúcar e o desgaste na estrutura dental podem levar a sérios problemas bucais. Mas o que a maioria das pessoas desconhece é que distúrbios invisíveis a olho nu, como a cárie oculta, são tão graves como aqueles que deixam marcas na dentição.

Pensando nisso, este post foi criado para explicar o que é e quais são as principais causas dessa doença, a exemplo do desgaste no esmalte dentário, do uso constante de géis químicos e substâncias para bochecho e da ocorrência de dentes quebrados ou danificados.

Ainda, mostrará quais são os sintomas da cárie oculta que se assemelham ao da cárie comum — seja dor dental, corrosão da parte interna da dentição, hipersensibilidade a líquidos e alimentos com temperatura muito quente ou fria — e detalhará o passo a passo para o diagnóstico do problema por um cirurgião-dentista.

Por fim, o material apresentará como é o tratamento para cárie e por qual motivo é necessário procurar ajuda profissional para voltar a sorrir sem medo. Tem curiosidade sobre o tema, certo? Então, comece a leitura agora mesmo e tire as suas dúvidas sobre o assunto!

O que é e como a cárie oculta aparece?

Antes de tudo, é necessário compreender que a cárie é uma complicação causada, em geral, por proliferação de bactérias do tipo Streptococcus mutans e Lactobacillus spp. na boca, onde os micro-organismos se alimentam de restos de alimento e começam a produzir um ácido.

Resultado das trocas químicas no processo de desenvolvimento das placas bacterianas na boca, o material ácido destrói a estrutura dos dentes e pode impactar, permanentemente, a raiz dental.

Diferentemente do problema mais comum, a cárie oculta, também conhecida como cárie escondida ou síndrome do flúor, é causada por bactérias, mas ela não pode ser detectada nem a olho nu, nem com o exame intrabucal (na cavidade bucal), quando se examina inicialmente a saúde da boca do paciente.

Alguns critérios, estabelecidos pelo Sistema Internacional de Detecção e Avaliação de Cáries (ICDAS, na sigla em inglês), ajudam o profissional a identificar a cárie oculta, principalmente quando o esmalte dentário tem aparência fortemente alterada após teste de umidade e secagem durante alguns segundos.

Ainda, o fenômeno é possível uma vez que as bactérias ultrapassam o esmalte dental — a parte mais externa do dente — e começam a corroer a estrutura, motivo pelo qual o caso tende a ser descoberto em um estágio avançado. Dessa forma, o problema não deixa “vestígios” claros, como os pontinhos pretos na dentição e a dor de dente.

Quais são as causas de cárie oculta?

Até aqui, você entendeu que a cárie oculta pode comprometer a dentição por não estar visível e que, por isso, o problema tende a se agravar, caso o paciente não faça consultas regulares com o dentista. Mas ainda fica a dúvida: quais são as causas desse mal-estar?

Segundo um estudo, é preciso afirmar que a ciência odontológica ainda não chegou a um consenso sobre as causas da doença, mas existe uma série de determinantes prévios que podem facilitar o aparecimento da cárie oculta, como um desgaste no esmalte dentário, que é o tecido mineralizado que forma os dentes e os protege de ações externas.

Além de problemas estruturais, o uso constante de fluoretos (composto químico muito comum em géis e substâncias para bochecho) e a ingestão frequente de açúcares — dieta que facilita a multiplicação de bactérias e pode evoluir para a formação de placas bacterianas — podem causar cárie oculta.

Ao mesmo tempo, o problema pode evoluir em dentes quebrados ou fraturados, pois, ainda que não haja desgaste do esmalte dentário, as bactérias conseguem penetrar facilmente na estrutura e corroer a dentina e a polpa dentária.

Quais são os sintomas da cárie oculta semelhantes ao da cárie comum?

Pronto! Você já sabe que a cárie oculta se manifesta de uma forma distinta se comparada à ocorrência da cárie comum, sem deixar “vestígios” na superfície dental, apesar de comprometer a estrutura dentária. Agora, o questionamento seria em relação aos sintomas desse mal-estar, não é mesmo?

Para responder à questão, é preciso entender que os sintomas de cárie oculta são bastante similares aos da cárie comum, uma vez que se caracterizam pela corrosão de partes do dente devido à multiplicação bacteriana na cavidade bucal. Dessa forma, o paciente que sofre com o problema costuma relatar os seguintes incômodos:

  • dor constante no dente;
  • mau hálito;
  • hipersensibilidade a alimentos e substância em temperatura quente ou gelada;
  • inchaço na gengiva;
  • desconforto ao mastigar alimentos;
  • incômodo ao passar o fio dental entre os dentes;
  • manchas na dentição.

No entanto, diferentemente da cárie comum, a oculta não apresenta pontinhos ou orifícios visíveis no esmalte dentário, caracterizando-se pela danificação da região interna, não perceptível a olho nu, da estrutura dentária. Por isso, o diagnóstico é mais complexo, quando comparado à disfunção comum, que deixa marcas facilmente identificadas na dentição.

Como é feito o diagnóstico de cárie oculta no consultório?

A lesão provocada pela cárie oculta, sem sombra de dúvida, tem um diagnóstico complexo, quando comparada à cárie comum, devido ao nível de complexidade da disfunção, que não é tão facilmente perceptível, apesar de causar sintomas, como dor de dente e sensibilidade a temperaturas extremas de alimentos e líquidos. Mas, afinal, como o dentista detecta esse mal-estar?

Respondendo à dúvida, sabe-se que o exame clínico visual, normalmente, não é preciso para identificar a presença de cárie oculta, motivo pelo qual é indicado realizar a radiografia interproximal — registrando a coroa dos dentes inferiores e superiores em um raio-X — que aumenta a chance do profissional observar os possíveis danos causados pelo problema na parte interna do dente.

Por outro lado, há limitações no diagnóstico de cárie oculta, para não comprometer ainda mais a estrutura dentária do paciente. Assim, um levantamento mostra, por exemplo, que não é indicado usar sonda exploradora para exame clínico, uma vez que essa técnica pode gerar perfurações na área cariada.

Nesse caso, a técnica da réplica oclusal, que reproduz detalhes anatômicos da cavidade bucal, tem sido uma opção interessante para diagnosticar cárie oculta, principalmente em estágio menos avançado, agilizando o tratamento adequado para o problema e minimizando os sintomas.

Como é feito o tratamento para a cárie oculta?

A depender do estágio de comprometimento do dente, o tratamento é o mesmo utilizado para o tipo de cárie mais comum, que provoca marcas e aumenta a sensibilidade dental.

Geralmente, o especialista recorre à restauração dentária para controlar o avanço da doença e recuperar o dente cariado. O processo inclui a remoção da parte deteriorada. Após a limpeza, a cavidade dental é novamente preenchida com um material específico, que pode ser desde porcelana até resinas compostas.

Mas em casos mais avançados, o paciente com cárie oculta pode passar pelo tratamento de canal — remoção da polpa do dente contaminada pela ação bacteriana — e até pela extração dentária.

De toda forma, a principal indicação para não sofrer com cárie oculta é se prevenir, tendo cuidado com os hábitos alimentares, evitando uma dieta rica em açúcares e doces, por exemplo, fazendo a escovação com higienização lingual diariamente e sendo acompanhado frequentemente pelo dentista.

Por que procurar um profissional experiente para tratar o problema?

Manter a higiene bucal e realizar consultas semestral ou anualmente com o dentista são formas de conseguir o sorriso dos sonhos. No entanto, a necessidade de contar com um profissional experiente é ainda mais evidente no diagnóstico e no tratamento de cárie oculta.

Como o problema não tem uma manifestação visível na boca, diferentemente do tipo de cárie mais comum, o cirurgião-dentista precisa redobrar a atenção e os exames, para descobrir o incômodo e tratá-lo quanto antes, interrompendo a destruição da dentina, uma das partes internas do dente.

Nesse caso, a indicação é para que o paciente faça exames de radiografia interproximal, método que consegue detectar o estado de saúde dental. Outra opção para diagnóstico preciso de cárie oculta são os aparelhos intraorais, que registram os componentes da estrutura dentária e mostram, exatamente, qual a parte do dente danificada pelas bactérias.

Portanto, procure a ajuda de um profissional experiente, em uma clínica bem equipada, que conseguirá oferecer um diagnóstico preciso e precoce sobre o estágio da doença. Da mesma forma, dê preferência para especialistas em endodontia, área que estuda a polpa dentária, os tecidos internos do dente e as doenças que podem surgir nessa região.

A OdontoCompany, por exemplo, é uma das maiores redes de clínica odontológica do Brasil, com equipe especializada e equipamentos inovadores em todas as regiões do país. Com mais de 30 anos de operação, os consultórios oferecem serviço de prevenção, diagnóstico e tratamento de cárie oculta e outras doenças orais.

Entendeu o que é e quais são as causas de cárie oculta, que compromete os tecidos internos do dente e pode levar à perda dental? Ainda, que para diagnosticar e tratar o mal-estar rapidamente, é preciso fazer exames detalhados com o dentista, já que ele consegue observar o avanço da doença e indicar o tratamento adequado?

Quer saber mais sobre como ter um sorriso harmônico e melhorar a sua qualidade de vida? Siga nossa página no Facebook e fique por dentro desses e outros temas interessantes para a sua saúde bucal!

Quer receber mais conteúdos como esse?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

18 Comentários

  1. Eu tenho Gastura no dente de baixo da frente ,Mas nao tem cárie ou algo do tipo,Minha mãe fala que e coisa da minha cabeça ,oque será? Vcs podem me ajudar a tira essas Gastura?,mas eu não quero perde meu dente porque meus colegas iriam ficar rindo de mim.

    1. Olá, Ana! Tudo bem? Essa sensação pode ser causa de vários problemas. É importante realizar uma avaliação para descobrirmos o motivo de você estar sentindo isso e iniciar um tratamento o mais breve possível.

  2. È possível retirar a obturação prateada, sem danificar o dente ou ate mesmo ter que fazer canal, e a substituir pela de resina?
    Porque eu acho horrível tenho autoestima baixa por conta desse problema, e além disso elas estão começando a ficar amareladas!!!

    O aparelho transparente serve também para alinhar os dentes com falhas?

    1. Oi, Cristina. É possível sim retirar a amálgama e trocá-la pela resina sem danificar o dente. Claro, que muitas vezes isso vai depender também do cuidado e higiene da pessoa.

  3. Boa noite tudo bem ? Eu sinto meu dente pulsando e a maioria das vezes tenho a sensação de que meu dente está sendo puxado, eu sinto sensibilidade neste dente.

    1. Olá Lidiane, como vai? Você chegou a procurar um dentista? Recomendamos que vá a uma clínica o mais breve possível, para saber o que está acontecendo, devolver a sua qualidade de vida e se livrar logo deste incômodo. Quanto mais rápido for, melhor será o tratamento. Caso precise, procure a OdontoCompany mais próxima de você para avaliarmos a situação pelo link https://odontocompany.com/

  4. Olá! Tô sentindo uma dor insuportável entre os dentes na gengiva. O que pode ser?

    1. Olá Juliana, como vai? Pode ser sintoma de gengivite. A gengivite consiste numa inflamação da gengiva devido ao acúmulo de placa bacteriana nos dentes, provocando dor na gengiva e entre os dentes, sangramento, inchaço e vermelhidão. Saiba mais sobre aqui: https://blog.odontocompany.com/o-que-e-gengivite/. Entretanto, procure um dentista o mais breve possível para ter o diagnóstico correto. Procure a OdontoCompany mais próxima de você para avaliarmos a situação pelo link https://odontocompany.com/

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.