prótese dentária de silicone

Veja 9 tipos de prótese dentária e escolha a melhor opção para você

Tempo de leitura 11 min

Perder um ou mais dentes é sempre algo complicado. Não apenas esteticamente, mas, também, porque esse problema pode influenciar na forma como falamos, mastigamos e até respiramos. Como cada caso é diferente, atualmente, a odontologia tem vários tipos de implantes, para atender a todas as demandas, por exemplo, a prótese dentária de silicone, que é uma opção mais confortável.

As indicações e especificações de cada tipo variam bastante de uma técnica para outra, logo, conhecer as opções antes de se submeter a um tratamento desse porte é a melhor maneira de dialogar com o profissional e encontrar a solução perfeita para o seu sorriso.

Ficou interessado? Então, continue a leitura, saiba mais sobre o assunto e conheça 5 tipos de prótese!

O que é a prótese dentária e quando ela é indicada?

A prótese dentária visa substituir um ou mais dentes faltantes na boca do paciente. Assim, além de devolver o sorriso, a autoestima e melhorar a estética, ela também contribui para a saúde, já que devolve as funções bucais, melhorando a mastigação, a fonética e, até mesmo, a respiração.

O procedimento é indicado para todos os pacientes que estejam sofrendo com a falta de um ou mais dentes, sendo que a técnica mais adequada dependerá de uma análise completa de cada caso.

Quais os tipos de prótese dentária mais comuns?

A odontologia tem evoluído muito e, hoje, é possível encontrar uma grande diversidade de modelos de prótese, que variam em termos de material e técnica aplicada. Tudo isso garante mais conforto aos pacientes, além de maior estabilidade e qualidade de vida.

1. Prótese total (PT)

A prótese total é a solução mais comum e conhecida entre os brasileiros. Normalmente, ela é produzida em resina acrílica e é essencial que o dentista e o protético sejam bastante detalhistas para trazer mais realidade ao sorriso do paciente e respeitar suas feições naturais.

Ela também consegue devolver as funções orais de mastigação e fala, além de melhorar consideravelmente a estética de quem perdeu todos os dentes.

Entretanto, com o passar dos anos, esse modelo acaba perdendo estabilidade óssea na região da mandíbula. Isso faz com que exista uma área de retenção da prótese inferior, dificultando o seu uso e comprometendo a estética.

Além disso, não oferece estabilidade e nem conforto para o paciente na hora da mastigação. O desgaste da prótese também é maior se comparado a outros modelos, como o fixo. Outro ponto negativo é a dificuldade que alguns pacientes têm para se adaptar.

2. Prótese Parcial Removível (PPR)

Também chamada de “Roach”, trata-se de um modelo bastante usado. A prótese é indicada para os pacientes que ainda têm alguns dentes na boca e funciona por meio de uma estrutura metálica com grampos que ficam retidos nos dentes remanescentes.

A composição metálica, geralmente, é de uma liga de níquel-cromo ou cromo-cobalto. A principal vantagem é a estabilidade que ela oferece durante a mastigação, além de proteger e manter os dentes originais e remanescentes do paciente.

Contudo, devido a sua estrutura metálica, não tem um grande apelo estético, pois, muitas vezes, os grampos e até a parte de metal podem ficar expostos. Além disso, a PPR exige um maior tempo de adaptação do paciente, especialmente naqueles que nunca usaram uma prótese.

3. Prótese Parcial Removível Flex (PPRFlex)

Outra possibilidade é a PPRflex, produzida com poliamida. Há também a opção da prótese dentária de silicone removível, que tem as mesmas características do acessório de poliamida, mudando apenas o material. Ainda, por ser injetável, dispensa a necessidade de grampos e metais.

Assim, esse modelo oferece mais conforto e resistência, além de ser esteticamente agradável. Esse material, por ser mais flexível e leve, se adapta mais facilmente à gengiva.

Agora, a PPRflex também tem um ponto negativo: com o tempo, a prótese pode pigmentar, não sendo, portanto, recomendada para pacientes com uma higiene bucal inadequada ou com problemas gengivais. Outra desvantagem é seu custo, que é mais elevado do que o da PPR.

4. Prótese Overdenture

Trata-se de uma prótese total, que pode ser colocada tanto na maxila (parte superior da boca) como na mandíbula (parte inferior).

Como o próprio nome sugere, ela fica “presa” aos implantes e é uma ótima solução para os pacientes que apresentam reabsorção óssea. Basicamente, a overdenture pode ser feita por meio de dois sistemas:

  • O’Ring: a prótese é unida por um anel de teflon ou metálico que fica encaixado em um componente protético em formato de bola adaptado sobre os implantes;
  • Barra-Clip: a prótese é unida por meio de clips que se adaptam a uma barra soldada sobre os implantes.

A overdenture oferece muito mais estabilidade aos pacientes e segurança para mastigar quaisquer tipos de alimentos, porém, seu valor costuma ser um pouco mais elevado.

5. Prótese Protocolo

A Prótese Protocolo também funciona sobre implantes de titânio, sendo uma solução muito interessante para os pacientes que perderam todos os dentes, podendo ser usada tanto na arcada superior como na inferior.

A execução, contudo, é mais complicada e trabalhosa que as demais. Normalmente, o processo se inicia com a colocação dos implantes — que são como pinos de titânio e substituem a raiz dos dentes ausentes.

Sendo assim, o paciente precisa aguardar o período de osseointegração, ou seja, até que o metal seja integrado ao osso da mandíbula ou da maxila e o processo de cicatrização esteja finalizado. Somente depois disso, é feita a moldagem e a instalação da prótese propriamente dita.

Ainda, existem diferentes tipos de prótese tipo protocolo, que serão especificados logo a seguir.

Protocolo sobre implante cerâmico

Nesse caso, ao invés da resina acrílica para confeccionar os dentes, é usada a cerâmica ou porcelana, que oferece mais naturalidade à prótese. Essa opção também tem outras vantagens, como mais estabilidade de cor, melhor textura, mais resistência ao desgaste e menor acúmulo de sujeira.

Protocolo em zircônia

Trata-se de uma possibilidade recente na odontologia e consiste no uso da zircônia. A principal diferença é que, neste caso, toda a estrutura da prótese (além dos dentes) também é produzida em zircônia e criada usando o sistema CAM/CAD.

A tecnologia CAM/CAD, resumidamente, funciona como um computador acoplado a uma impressora 3D. Assim, o profissional consegue realizar o desenho de uma prótese, por exemplo, e imprimi-la em três dimensões, em um tempo muito menor. Tudo isso reduz a necessidade de uso de soldas, o que confere ainda mais resistência.

Powered by Rock Convert

6. Coroa

Indicada para quem precisa repor apenas um dente, reproduzindo, dessa maneira, as características funcionais, anatômicas e estéticas do paciente. O tratamento pode ser realizado tanto sobre um implante de titânio como sobre um dente, e a implantação pode ser parafusada ou cimentada.

A coroa pode ser produzida tanto em porcelana como em resina, sendo que as de porcelana, embora sejam mais caras, oferecem maior resistência, valorizam mais a estética e têm maior durabilidade e facilidade de adaptação.

Além disso, a participação do paciente é fundamental para o sucesso do tratamento, sempre higienizando corretamente a prótese e realizando os retornos periódicos para os ajustes.

7. Prótese sobre implante

A prótese sobre implante é utilizada quando há necessidade de repor um ou mais dentes na boca do paciente. Ela é fixada sobre o pino de titânio e confeccionada em porcelana, pois é um material esteticamente mais bonito e bastante durável.

A porcelana são sofre alterações em sua cor ao passar dos anos e, dificilmente, uma prótese sofre algum tipo de fratura. Além de oferecer estabilidade e conforto para o paciente durante a mastigação, a prótese sobre implante proporciona um resultado bastante natural.

8. Ponte fixa

Aqui tem-se um modelo de prótese fixa que está caindo em desuso, devido à eficácia dos implantes dentários. Mas a ponte visa substituir um ou mais dentes faltosos e proporciona resultados bastante satisfatórios.

A desvantagem do tratamento é que para colocar, é necessário desgastar os dentes subjacentes, que devem ser usados como suporte. Nesse caso, eles servem para dar apoio à prótese e perdem sua funcionalidade.

9. Inlays, onlays e overlays

Estes são tipos de restaurações indiretas, ou seja, que são feitas diretamente na boca do paciente. O procedimento é necessário quando há uma perda da estrutura dentária.

Ainda, as inlays, onlays e overlays são utilizadas para reconstruir uma parte do dente e são diferenciadas pelo grau de destruição do dente que deve ser reconstruído. O tratamento é indicado para casos onde há pequenos, médios ou grandes partes danificadas, seja por cárie ou algum tipo de fratura.

O material utilizado para nessa restauração é a porcelana, que além de mais resistente, tem um apelo estético melhor. Veja quando e em quais casos cada técnica é indicada:

  • inlay: técnica indicada para dentes com um grau pequeno de destruição;
  • onlay: opção mais adequada para dentes que apresentam um grau médio de destruição;
  • overley: indicada para dentes com uma grande parte deteriorada.

O tratamento oferece excelentes resultados estéticos, durabilidade e, ainda, preserva a estrutura a dentária remanescente. Além disso, é simples e o dentista retira a parte danificada do dente, faz a moldagem e, depois, as peças são confeccionadas em laboratório e cimentadas na boca do paciente.

>>Entenda qual a diferença entre implante e prótese nos dentes, acesse aqui!

Quais são os cuidados necessários com a prótese dentária?

A grande vantagem das próteses dentárias é que elas duram muitos anos, desde que o paciente tome os devidos cuidados. Para tanto, algumas dicas simples devem ser seguidas para que os dentes artificiais durem muito tempo. Confira!

Tenha atenção redobrada na hora da higiene bucal

A higienização da prótese deve ocorrer da mesma forma que é feita para os dentes naturais. Isso porque, se houver acúmulo de resíduos, haverá uma proliferação de bactérias que, além de provocar cáries nos dentes adjacentes, ainda podem dar gengivite e periodontite.

No caso da prótese removível, ela deve ser retirada na hora da escovação para que a limpeza seja mais completa. Acessórios específicos, como escovas tufo e interdentais são essenciais para complementar. Além disso, o fio dental deve ser utilizado feito diariamente, pelo menos, uma vez ao dia.

Tome cuidado na hora de tirar e colocar a prótese removível

Para não correr o risco de deixar a prótese removível cair e quebrar, é preciso ter cuidado na hora do manuseio. Além disso, ao colocar novamente na boca, tenha cautela para não ferir as mucosas.

Ainda, na hora de dormir, as próteses devem ser retiradas para não machucar a boca. O ideal é colocá-las em um recipiente com água para não ficarem ressecadas.

Fique atento à sua alimentação

O uso da prótese dentária de silicone ou qualquer outro modelo demanda um período de adaptação, principalmente no caso de pacientes que ficaram sem dentes por um bom tempo. Nesse tempo, recomendamos dar preferência para alimentos fáceis de mastigar, pois isso evita machucar a boca e quebrar a prótese.

Depois do período de adaptação, a alimentação pode voltar ao normal, mas é preciso ter cuidado na hora de consumir alimentos duros e pegajosos.

Visite seu dentista regularmente

As visitas ao dentista devem ser feitas com regularidade, a cada seis meses ou, no máximo, um ano. Durante o período de adaptação, serão necessárias um maior número de consultas, pois o profissional vai avaliar como está o andamento do tratamento e observar sua satisfação em relação à sua prótese. Por isso, compareça a todas as consultas.

Após esse intervalo, as visitas ficam menos frequentes, mas ainda são necessárias. Para quem usa a prótese total, as consultas são importantes para que o dentista avalie a saúde das gengivas e monitore em casos de desgaste na dentadura.

Pacientes que ainda têm dentes na boca devem fazer sempre um check-up odontológico e a profilaxia dentária. Esse procedimento consiste em uma limpeza profunda, que é feita pelo profissional em consultório, com instrumentos específicos e visa remover a placa bacteriana e o tártaro acumulados.

Ainda, a profilaxia é importante para evitar o aparecimento de outras doenças, como cáries e problemas na gengiva.

Independente do modelo que você escolher, é essencial procurar por um dentista especializado em implantodontia ou prótese, que será capaz de indicar a técnica mais adequada às suas necessidades, características e desejos.

Como você viu, há vários tipos de prótese dentária: de silicone, de zircônia etc., cada um com uma indicação específica, para garantir um ótimo resultado estético e, ainda, devolver a funcionalidade da sua boca.

Gostou do conteúdo e precisa de um tratamento dentário? Entre em contato com a Odonto Company e conheça todos os serviços!

Powered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

7 Comentários

  1. E gostei mais o ruim que. Tratamemento dentario hoje no brasil e muinto caro e hoje a populasao mais pobre e dificil fazer um tratamento voce vai no dentista eles nao parcelam dificulta o maximo possivel. E a classe mais pobre sofre quando se trata de arrumar seus dentes

  2. Estou faltando os dente atrás .isto mim faz falta

  3. Qual preco para reembasar a protese superior??

  4. Desejo realizar uma protese superior total, pois uso uma parcial removivel e não estou satisfeita com a estética.

  5. Gostaria de falar com alguém p tirá algumas dúvidas

  6. Tenho uma prótese total superior e quero fazer a troca pois tá muito folgada
    Terei q ir no consultório pra fazer somente o molde da nova prótese é isso?demora muitos dias até fazer o molde e receber a nova prótese?

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.