restauração no dente

Quando e por que trocar a restauração no dente?

Tempo de leitura 8 min

É difícil encontrar quem chegou à idade adulta sem ter tido cáries pelo menos uma vez na vida! Embora muito comum, o problema requer atenção e, claro, uma visitinha ao dentista. Afinal, essa contrariedade só é resolvida com uma restauração no dente, que pode ser uma obturação de resina ou de outro material.

Neste texto, entenda o que é a restauração, quais são os tipos de tratamento — à base de ouro, porcelana ou, como comentamos, resina —, por que e quando investir na técnica, além de saber quando você deve realizar a troca da restauração. Comece a leitura agora mesmo para tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto!

O que é restauração no dente?

A cárie é o resultado da aglomeração das bactérias Streptococcus mutans, que vivem normalmente na nossa boca e se unem em placas para, dessa forma, se alimentarem da sacarose presente nos restos de comida.

Essas placas produzem um ácido que, em contato com o esmalte do dente, o corrói até quebrá-lo. Se não tratadas, as cáries podem causar dor, sensibilidade, alterações na mastigação e atingir o nervo ou a polpa do dente.

Por sua vez, a restauração, também conhecida por obturação, é uma forma de eliminar a cárie, prevenindo seu aparecimento no futuro e devolvendo ao dente seu formato e suas funções normais. Embora a restauração ainda seja bastante comum nos consultórios odontológicos, o que poucos pacientes sabem é que ela precisa, sim, ser trocada periodicamente.

O procedimento é feito da seguinte maneira: com a ajuda de uma furadeira, o dentista fura o esmalte do dente para retirar de lá toda a cárie, limpando bem a região afetada.

Essa parte danificada é preenchida, depois, com um ácido em gel, que age fazendo uma ligação de preenchimento para, só então, receber o material restaurador. Na etapa seguinte, é colocada a resina, fortalecida por uma luz brilhante, e o material restaurador.

Por último, o dentista faz o polimento do dente para deixá-lo em seu formato original e completamente restaurado. Apesar de o procedimento ser o mesmo, o tipo de restauração pode variar de acordo com o tamanho da região afetada e também da visibilidade do dente comprometido.

Quais os tipos de obturação?

Há diversos tipos de restauração, mas a principal diferença entre eles está no material utilizado, os quais têm benefícios e malefícios. Do ouro à porcelana, passando pela resina, é preciso pensar nos prós e nos contras antes de decidir, junto ao dentista, pelo tratamento mais adequado para o seu caso.

Amálgama

É um composto formado por mercúrio, prata e estanho. Como você pode imaginar, essa opção não é nem um pouco saudável e já está proibida para utilização pela ANVISA desde janeiro de 2019. Caso você já tenha uma restauração, é bom notar se ela foi feita com essa liga (as obturações feitas com o material têm coloração prateada).

Ouro

Ele é considerado o melhor material para realizar as restaurações se for levada em conta a sua longa duração, mas tem alguns inconvenientes, como o preço e, claro, a visibilidade ― afinal, um ponto dourado sobre um dente, mesmo que na parte de trás da boca, não é algo difícil de notar.

Porcelana

A “versão 2.0 da resina” tem coloração ainda mais realista, não mancha, tem melhor resistência e apresenta desgaste muito menor. Em contrapartida, o custo do tratamento com porcelana é bem próximo ao preço cobrado pelas restaurações com ouro.

Resina composta

Superindicado para restaurações nos dentes da frente, o material é aplicado diretamente na cavidade realizada para remoção da cárie e tem a mesma coloração do dente. A seguir, você entenderá detalhes sobre o método.

O que é e como é feita a obturação de resina?

Antes de ler os detalhes, saiba que a resina composta é constituída de polímeros, cuja matriz (como os especialistas chamam a estrutura que confere estabilidade ao composto) ganha um reforço em cristais e outras partículas.

Já para saber sobre obturação de resina basta entender que a função desse processo não muda, independentemente do material utilizado. Desse modo, o principal objetivo da técnica continua sendo restaurar um ou vários dentes atingidos pela cárie para que haja equilíbrio bucal novamente.

Para isso, o procedimento é o mesmo que comentamos mais acima: o dentista remove e higieniza a área cariada, sela a cavidade e a preenche com o composto. Em seguida, o profissional faz o polimento do dente restaurado para retirar os excessos e deixar a mordida mais regular.

Powered by Rock Convert

Quais são as vantagens de fazer obturação de resina?

Você sabe o que é a restauração à base de resina, mas existem vantagens desse método em relação aos demais? A resposta é simples: o tratamento com resina composta costuma ser bem-aceito pelo corpo, compromete apenas a região afetada por cáries e tem um resultado estético mais natural. Confiram mais detalhes a seguir.

Integração ao corpo

Comparando-se os tipos de restauração, facilmente se percebe a vantagem da resina composta em termos de integração ao organismo. Diferentemente de materiais como a amálgama e a porcelana, a taxa de rejeição do corpo à resina é baixa, o que dá mais conforto para os pacientes e diminui o tempo de recuperação.

Menos desgaste

Diferentemente do tratamento com amálgama, que corrompe uma parte saudável do dente, a técnica dispensa o desgaste de áreas sadias da dentição. Apesar de a resina ter uma durabilidade menor do que o composto metálico, ela é colada diretamente na região atingida pela ação de cáries, enquanto a liga de metais é fixada por retenção mecânica.

Além disso, a estrutura do material contém propriedades mecânicas que reforçam a resistência da obturação a desgastes, mantendo a elasticidade da peça e as funções bucais.

Ganhos estéticos

Por fim, outro benefício da restauração em resina, sem dúvidas, tem a ver com a estética dental. Sabe por quê? Na contramão do método ultrapassado que usa a amálgama, o material apresenta uma coloração bastante similar à do dente. Com a saúde bucal equilibrada, o resultado é uma obturação resistente, com aparência natural e facilmente integrada ao organismo.

Por que trocar as restaurações?

Ainda que a amálgama tenha sido proibida, as restaurações prateadas foram bastante populares no passado e ainda estão presentes no sorriso de muita gente. E se você tem uma, deve ficar atento: além do prejuízo estético, aconselha-se trocar essa restauração por conta da sua toxicidade.

Por isso, a troca das restaurações de amálgama pelas de resina é algo comum, mas esta última não é indicada para cobertura de uma área muito grande. Assim, converse e avalie com o seu dentista qual é a melhor opção para você.

Quem tem restaurações de resina também deve ficar de olho na periodicidade da troca. Esse material apresenta desgaste com o tempo de uso e, como dito acima, pode vir a ter rachaduras e microfendas que possibilitam a passagem de bactérias causadoras da cárie.

É válido lembrar, ainda, que mesmo que a sua higiene bucal seja impecável, o desgaste por uso da resina faz com que as manchas tirem desse material um de seus grandes diferenciais: a discrição. Então, a troca é necessária.

Quando trocar as restaurações no dente?

Embora muito resistente e com ótima durabilidade, a restauração de amálgama também pode escurecer com o tempo por conta da corrosão. Pode ser feita uma limpeza completa e um polimento, mas o indicado é conversar com o dentista sobre a troca da restauração no dente, especialmente se houver nova incidência de cáries ou ocorrer fratura ou quebra na restauração.

Quando o assunto são as restaurações de resina, o prazo de duração delas pode variar de três a dez anos. No entanto, fique atento a alguns sinais para perceber que a restauração do dente precisa de uma renovação. Caso haja mudança de tonalidade no local, procure um dentista urgentemente.

>> O que é dentística? saiba o que essa área pode fazer pelo seu sorriso!

Quais os benefícios de trocar a restauração no dente?

No caso das restaurações de amálgama, os dentistas defendem outro ponto: por conta da tonalidade e por cobrir boa parte do dente, fica muito mais difícil detectar a presença de placas e bactérias. Nesse caso, ponto positivo para a resina, cuja tonalidade clara facilita a observação de acúmulo de alimento!

Porém, a resina é menos resistente que o metal da amálgama e, por isso, pode sofrer com o desgaste e fazer com que o dente volte a ser alvo das cáries. Então, observar as restaurações e consultar o dentista ao menor sinal de desgaste com certeza vai manter o dente protegido e esteticamente impecável. E não se esqueça de manter as consultas odontológicas em dia!

Você aprendeu, neste conteúdo, tudo sobre a obturação no dente, método que elimina a proliferação das cáries e restaura a sua saúde bucal. Fora isso, compreendeu quais são os principais tipos de restauração (com destaque para o tratamento à base de resina), por que cuidar delas e com que frequência fazer a troca dos materiais no consultório.

Gostou de saber mais sobre o processo de restauração, a obturação de resina e os principais motivos para mantê-las em dia? Então, entre em contato conosco e seja atendido pelos melhores profissionais da área!

Powered by Rock Convert
será que eu preciso de aparelhoPowered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

19 Comentários

  1. DOUTOR ,
    MEU DENTE QUEBROU POR CONTA DE CARIE , FUI AO DENTISTA ELES TIRARAM TODA A CARIE E RESTAURARAM , COM 2 MESES ESSE MESMO DENTE RESTAURADO,COMEÇOU A DOER E RACHOU!
    VOLTEI AO DENTISTA E A RESTAURAÇÃO ESTAVA PRATICAMENTE TODA SOLTA, E QUANDO ELE TIROU ESTAVA COM CARIE PROFUNDA E TEM QUE FAZER CANAL.

    QUERIA PERGUNTA SE A TÉCNICA PARA RETIRADA DA CARIE FOI MÁ EXECUTADA ? (ATÉ PORQUE ELA EM 2 MESES VOLTOU? OU ELES QUE NÃO A TIRARAM POR COMPLETA ? )

    1. Olá, Crislane! Como vai? Nesse caso o correto é procurar o seu dentista novamente, explicá-lo o que aconteceu para que ele possa, enfim, reparar de vez o problema!

    1. Obrigado pelo feedback, Daniel! 😀

  2. ola, sou apenas um estudante de odonto, mas me parece mesmo que houve falha no procedimento de restauração. A retirada do tecido carioso tem que ser feita de uma forma completa e perfeita. O uso do material de restauração(acido/primer/adesivo) tem quer seguir os passos corretamente. E por fim a aplicação de resina com o photo devem ser impecáveis.Que pena q passou por isso Crislane, mas com certeza ele fara dinovo sem problemas. abs

  3. Fiz uma simples restauração no segundo molar, restauração pequena na verdade, mas já faz 6 meses que ainda sinto sensibilidade, radiograficamente está tudo perfeito, mas a sensibilidade persiste. Pelo o que entendi, não há necessidade de tratar canal. Existe algum material de restauração que proteja da sensibilidade? O que aparentemente seria indicado pra proteger da sensibilidade? Obrigada!

    1. Olá, Andrillayne. Tudo bem? Hoje em dia, temos algumas pastas de dente especiais para evitar a sensibilidade. Porém, é importante você se consultar com um dentista para que ele possa avaliá-la antes de tomar qualquer atitude.

  4. Tenho dois dentes abertos

    1. Olá, Nivaldo! Como vai? Procure a unidade OdontoCompany mais próxima de você pelo link: https://odontocompany.com/

  5. Quero restaurar os dois dentes

    1. Olá, Nivaldo! Como vai? Procure a unidade OdontoCompany mais próxima de você pelo link: https://odontocompany.com/

  6. Meus dentes são tortos, queria colocar aparelho a uns cinco anos atrás uma dentista me falou que eu tinha perda óssea, que não dava para colocar, já tem alguma coisa nova?

    1. Olá, Carla! Tudo bem? Cada caso é um caso, de fato. Porém, a perda óssea pode ser tratável. O ideal é realizar uma avaliação para entendermos melhor a sua situação.

  7. Gostei do assunto de sua divulgação, gostaria de ver se é pertinente para meu site.

    Sds.

    1. Oi, Hermes! Tudo bem? Fique à vontade 🙂

  8. Dói trocar de restauração?

  9. Oii to gestante, em 2016 eu abturei meu dente agora faz 4 dias q ele esta doendo sem parar nao sei oque fazer choro de dor a noite a massinha do dente ta afundando pra dentro

  10. Eu tenho dois dentes que foi restaurados,porém nunca me deram problemas nehum,! Eu mesma que em consultas periódicas com meu dentista,ele fala se ah necessidade de uma nova restauração, ai eu faço ,mais isso depois de alguns anos,eu tbm acho essencial pois a restauração com o tempo perde aquela tonalidade do esmalte,igual ao meu dente,fica como nunca tivesse sido restaurados antes! Parabéns a todos os dentistas desse mundo! A profissão que eu admiro por demais! Bjs

  11. Até que ponto é possível salvar um dente der ser arrancado ?
    Fiz canal em dois dentes, um quebrou certo dia de tal forma que acabei perdendo ele.
    E agora, infelizmente, o outro dentre quebrou um pedaço, e está um pouco trincado nas laterais. Com essa pandemia fiquei impossibilitada de ir ao dentista, mas marquei pra dentro de duas semanas.
    É possível que eu também perca esse dente nesse prazo ?

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.