Ortodontia

Tire as 8 dúvidas mais comuns sobre o aparelho para crianças

agosto 30, 2018
Tempo de leitura 7 min

Cuidar da saúde bucal dos filhos é sempre uma preocupação na vida da maioria dos pais. E entre as dúvidas mais comuns está o uso do aparelho para crianças. Quando ele deve ser usado? Existe uma idade ideal? Como funciona? Quais os tratamentos disponíveis? Será que ele precisa usar aparelho?

Nesse momento, é importante destacar que cada fase da vida exige cuidados bucais específicos. No caso das crianças, é essencial que os pais estejam atentos a qualquer alteração para garantir que o seu filho não tenha nenhuma complicação no futuro.

Pois bem, se você compartilha dessas e de outras dúvidas, é só continuar a leitura para saber mais sobre o assunto!

1. A partir de qual idade é preciso levar a criança a um ortodontista?

Em geral, por volta dos 6 anos já é possível identificar questões que podem se beneficiar com o tratamento ortodôntico. Com essa idade, a criança se encontra na primeira fase de troca da dentição e o profissional poderá avaliar vários pontos, como:

  • hábitos parafuncionais, como chupar o dedo, chupetas ou roer unha;

  • mordida cruzada ou mordida em topo;

  • cáries;

  • diastema;

  • estrutura óssea e proporcionalidade entre os ossos da face (como as crianças que têm o queixo muito para frente ou o céu da boca mais estreito);

  • má postura da língua.

Nessas situações, o uso do aparelho infantil é recomendado, permitindo “guiar” corretamente o crescimento ósseo da face e até o nascimento adequado dos dentes permanentes, evitando problemas futuros.

Pode ser também que o dentista recomende que seu filho seja acompanhado por outros profissionais junto do tratamento ortodôntico, como o fonoaudiólogo, especialmente em casos nos quais existe uma má postura da língua.

2. Quais são os tipos de aparelhos para crianças?

São diversos os tipos de aparelhos disponíveis. O que pesa na hora de decidir o mais adequado é a dentição, já que a criança ainda pode ter os dentes de leite ou estar na fase mista (quando a troca dos dentes já está acontecendo). Os mais usados são os listados abaixo.

Móvel

Também chamado de removível, esse aparelho costuma ser indicado entre os 6 e os 12 anos, quando as crianças estão em fase de crescimento. Além de corrigir os problemas de mordida e o alinhamento dental, o aparelho móvel também funciona como parte da ortopedia funcional.

Ou seja, o que se busca é manter ou ampliar os espaços naturais entre os dentes, permitindo que os permanentes nasçam em uma posição adequada, corrigindo questões futuras que possam surgir.

Dentro do que chamamos de aparelho móvel existem vários tipos de desenhos e cada um deles é indicado de acordo com o problema ortopédico que se deseja corrigir.

Geralmente, ele é produzido com uma placa de resina acrílica e alguns fios de aço que se encaixam entre os dentes da criança (tanto os de leite como os permanentes), direcionando o desenvolvimento dos ossos dos maxilares e também dos dentes.

Algumas vezes, as crianças que usam aparelho móvel podem precisar também usar o fixo mais tarde, para complementar o tratamento.

Fixo

É o mais conhecido quando falamos em aparelhos ortodônticos, mas só pode ser usado quando as crianças terminarem a troca de dentição, já que seu uso não é permitido em dentes de leite.

A diferença é que com esse tratamento é possível que o ortodontista faça movimentos maiores e controle melhor o posicionamento dos dentes.

3. Quais os sinais que indicam a necessidade de uso de aparelho infantil?

Quando uma criança precisa usar aparelho, é possível notar algumas características que indicam essa necessidade, como:

  • hábito de chupar o dedo, principalmente após os 6 ou 7 anos;

  • dificuldades para mastigar;

  • arcada superior com desvio quando comparada à arcada inferior;

  • espaço entre os dentes, por exemplo, os dentes superiores estão posicionados bem mais à frente do que os inferiores;

  • dentes sobrepostos ou apinhados;

  • dentes anteriores que não se tocam, mesmo quando a criança está com a boca fechada;

  • desgaste dos dentes.

4. Qual a importância do aparelho para crianças?

Buscar o tratamento ortodôntico ainda na infância é extremamente importante. Afinal, como você viu, é possível “guiar” corretamente o desenvolvimento ósseo e das arcadas dentárias, evitando que seu filho venha a sofrer com problemas mais sérios quando a dentição permanente vier.

Além disso, como nessa fase ainda não houve a completa consolidação dos ossos da face e nem o nascimento de todos os dentes permanentes, é mais fácil para que o dentista consiga fazer correções, com resultados mais rápidos.

Mesmo se o seu filho precisar usar aparelho fixo quando a dentição for trocada, o “trabalho” será menor, já que a base óssea estará bem posicionada e corrigida. Ou seja, o tempo total de tratamento será menor, bem como as intervenções que precisarão ser feitas, tornando o alinhamento dentário mais simples e fácil.

5. O que acontece se o tratamento ortodôntico na infância não for procurado?

Muitas das questões não serão resolvidas e, provavelmente, seu filho precisará de tratamento na adolescência ou na vida adulta.

Alguns dos problemas podem trazer várias complicações e dificuldades, como dores de cabeça, na face e no pescoço, dificuldade para mastigar ou articular as palavras, perturbações respiratórias e questões de autoestima.

Além disso, como já houve a consolidação óssea, muitas vezes o tratamento pode ser mais complexo, longo e complicado.

6. Quais as vantagens do uso do aparelho na infância?

Como você deve ter notado, o aparelho para crianças oferece muitos pontos positivos, como:

  • redução das chances de efeitos colaterais, uma vez que as raízes dos dentes estão menos desenvolvidas e são mais favoráveis às forças aplicadas;

  • facilidade para corrigir os problemas de mordida, já que o sistema orofacial ainda está se desenvolvendo;

  • é possível modificar o crescimento dos ossos da face;

  • melhoras na autoestima e até na socialização, já que os problemas de oclusão e de fala serão corrigidos, reduzindo as brincadeiras;

  • boa cooperação do público infantil para os tratamentos.

7. Por quanto tempo a criança terá que usar aparelho?

O tempo de tratamento varia muito de caso para caso, já que alguns podem ser bem mais complexos. Em média, o uso do aparelho móvel ortopédico varia entre 6 a 18 meses. Mas, como dissemos, pode ser que a criança tenha que usar também o aparelho fixo quando realizar a troca de dentição.

8. O aparelho para crianças é muito dolorido?

Sempre o início de um tratamento poderá ser mais complicado até o paciente se acostumar com a nova rotina. Por isso, é importante que os pais tenham paciência.

No começo, a criança poderá sentir um pouco de desconforto na língua, no céu da boca e nas bochechas, mas essa fase não costuma se prolongar por mais que algumas semanas.

Lembrando que os aparelhos removíveis não costumam causar dor quando precisam ser ativados, já os ortopédicos fixos podem causar um pouco mais de desconforto nos primeiros dias.

Outro ponto que os pais precisam ter atenção é em relação à higienização. Afinal, é importante redobrar os cuidados, evitando que outros problemas orais apareçam, como a cárie e a gengivite. Nem sempre as crianças têm responsabilidade para cuidarem sozinhas da higiene bucal e, por isso, a participação ativa dos pais é fundamental.

Como você pode perceber, o aparelho para crianças oferece muitos benefícios e quanto mais cedo o tratamento ortodôntico começar, mais fácil será reverter questões de mordida, posicionamento dentário e até de desenvolvimento ósseo.

Gostou deste conteúdo? Então compartilhe o nosso post nas suas redes sociais e ajude outros pais a tirarem dúvidas importantes sobre a ortodontia infantil!

 

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário