Ortodontia

Quais são os problemas nos dentes mais comuns de acordo com a idade?

dezembro 17, 2018
Tempo de leitura 8 min

Problemas nos dentes são comuns em todas as fases da vida, mas variam de acordo com a faixa etária do paciente. Assim, mesmo crianças podem ter doenças bucais graves, que levam à perda dentária, caso o tratamento seja negligenciado. Por isso, é importante manter a higiene bucal em dia e visitar o dentista periodicamente desde cedo.

Entenda mais, neste texto, sobre os incômodos bucais mais comuns em crianças, jovens, adultos e idosos e descubra quais hábitos, na realidade, são a melhor forma para ter dentes saudáveis por toda a vida.

Por último, saiba de quais costumes — a exemplo de usar cigarro e beber muito café e vinho — você deve desviar no dia a dia para ter uma dentição em pleno funcionamento. Comece a leitura agora mesmo e tire todas as suas dúvidas sobre o assunto. Acompanhe!

Problemas dentários mais comuns em crianças

Um transtorno muito comum em crianças envolve a mordida. O comprometimento ocorre, na maioria das vezes, pelo uso prolongado da chupeta e mamadeiras, respiração bucal, postura inadequada da língua durante o sono ou deglutição ou pelo hábito de chupar os dedos, o que é bastante comum nos pequenos.

A perda precoce dos dentes de leite é outro problema que atinge crianças, visto que elas também podem desenvolver cáries pelo consumo excessivo de açúcar aliado a uma má higiene bucal.

Mas o contrário também pode acontecer. Quando os dentes de leite demoram muito a cair, o processo de nascimento dos dentes permanentes é prejudicado. Por isso, ao perceber esse problema, é necessário procurar um dentista.

Problemas dentários mais comuns em adolescentes

O acúmulo de placa bacteriana é bastante comum em adolescentes quando a higiene bucal não é feita de forma adequada. A placa é uma camada viscosa e incolor, formada por bactérias e restos alimentares presentes na boca.

Ela, por si só, não causa nenhum dano, mas, quando não é removida, se transforma em tártaro — uma camada espessa e dura que não sai somente com a escovação. O tártaro é o principal causador das cáries e doenças nas gengivas.

Dentes desalinhados também são um problema muito comum na adolescência, e, caso o jovem não faça uso do aparelho ortodôntico, ele poderá ter outras complicações, como dores, incidência de cáries, problemas nas gengivas e, até mesmo, perda dentária.

nascimento dos sisos ocorre no final da adolescência e pode trazer transtornos para o paciente, principalmente quando não há espaço para que os novos dentes apontem na boca. Mas, nesses casos, basta que o jovem vá ao dentista para fazer a extração dos dentes que estiverem causando incômodo.

Problemas dentários mais comuns na idade adulta

Quando os pacientes chegam à idade adulta, problemas como cáries e doenças nas gengivas ainda persistem. No entanto, nessa fase da vida, os problemas são mais sérios, pois, como o restante do organismo, os dentes também envelhecem e se tornam mais frágeis.

As cáries são mais recorrentes, e, caso não haja tratamento adequado, o canal é necessário. Além disso, a gengivite é mais comum do que em pessoas mais jovens — e, quando ela não é tratada, evolui para periodontite, que é uma doença grave, que atinge tanto tecidos quanto os ossos alveolares (responsáveis pela sustentação dos dentes).

Quando não tratada a tempo, a periodontite leva à perda dentária, sendo que, em casos mais extremos, as bactérias podem cair na corrente sanguínea, ocasionando doenças sistêmicas, inclusive problemas cardíacos.

bruxismo é outro problema comum em pessoas adultas, pois uma das principais causas da doença é o estresse. Caracteriza-se pelo fato de a pessoa ranger os dentes à noite. Caso o bruxismo não seja tratado, ele leva o paciente a ter sérias dores de cabeça, nos maxilares, zumbido nos ouvidos, desgaste dentário e, consequentemente, perda dos dentes.

Problemas dentários mais comuns em idosos

Essa é a fase da vida em que os problemas dentários são mais acentuados, pois o sistema imunológico fica bastante sensível — principalmente no caso de pacientes portadores de algumas enfermidades específicas (como diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares).

Outro problema bastante comum em idosos é a retração gengival, o que causa uma exposição da raiz dentária. Como a raiz do dente fica exposta, há uma sensibilidade maior quando a pessoa ingere alimentos quentes ou gelados.

A xerostomia (ou boca seca) também é bem recorrente. Isso acontece devido à diminuição da produção de salivação. A boca seca é causada pelo uso de determinados medicamentos ou a presença de doenças como diabetes, mal de Parkinson, HIV/AIDS e tratamentos para câncer, como radioterapia.

Além disso, com o avanço da idade, nem sempre o corpo humano recebe a quantidade essencial de vitaminas para o bom funcionamento do organismo. Essa deficiência é extremamente prejudicial à saúde dos dentes e gengivas.

Como manter dentes saudáveis em todas as fases da vida

O melhor tratamento para todos os tipos de problemas dentários é a prevenção. Por isso, é importante escovar os dentes sempre após as refeições e passar o fio dental pelo menos uma vez ao dia. Além disso, ir ao dentista de 6 em 6 meses é essencial para que o profissional identifique precocemente doenças bucais.

Mesmo as crianças devem começar a se consultar desde cedo, pois o acompanhamento do dentista desde a infância pode evitar que os pequenos tenham doenças bucais. A prevenção, inclusive, evita, em muitos casos, que o aparelho dentário seja necessário na adolescência ou fase adulta.

O ideal é que as crianças já comecem a ir ao dentista logo nos primeiros meses de vida, quando aparecem os primeiros dentinhos. No mais, durante as consultas, o profissional realiza a profilaxia dentária — procedimento que remove a placa bacteriana e o tártaro nos dentes —, o que evita o aparecimento de cáries e doenças gengivais.

Embora problemas nos dentes possam ocorrer mesmo com boa higiene bucal e constantes idas ao dentista, na maioria dos casos, eles são evitados. Ao contrário do que muitos pensam, é perfeitamente possível ter um sorriso harmônico por toda a vida, desde que os cuidados com a saúde bucal sejam adotados a partir da infância.

Hábitos ruins que acarretam problemas para os dentes

Ter cuidados diários com a boca e sempre se consultar com o especialista ajuda a deixar os dentes limpos. Por outro lado, há maus hábitos que você deve evitar para não prejudicar a dentição. É o caso da escovação incorreta ou incompleta, de roer as unhas, do cigarro, do café consumido em excesso e da ingestão de doces.

Fazer escovação erroneamente

É verdade que a escovação ajuda a manter os dentes saudáveis, mas é preciso saber como fazer isso. Para os especialistas, você pode realizar movimentos verticais, horizontais ou em círculos, desde que os mantenha em certo ritmo por, no mínimo, 120 segundos.

Para facilitar o processo, você pode dividir a região bucal em quatro, começando pelas partes superiores (esquerda e direita) e, por fim, escovar a área de baixo (da mesma forma, primeiro a esquerda e, depois, a direita), gastando 30 segundos para cada lado.

Usar cigarro

De maneira geral, o hábito de fumar não faz bem para o corpo — e prejudica bastante a saúde oral, uma vez que a dentição fica exposta aos componentes tóxicos da droga. Com o tempo de exposição, o fumo começa a diminuir a vascularização da parte interna dos dentes e pode levar a doenças sérias, como a periodontite e mesmo o câncer de boca.

Roer as unhas

A ação de roer as unhas geralmente está ligada a situações de estresse. No entanto, essa possível válvula de escape para lidar com o pique de tensão prejudica os dentes, já que o atrito compromete a estrutura dental e aumenta o risco de quebrar um dente. Da mesma forma, evite palitar os dentes e usar a boca para abrir objetos.

Comer doces e alimentos açucarados

Evitar doce não é um conselho que se aplica apenas às crianças, estendendo-se aos pacientes em qualquer fase da vida. Alimentos e bebidas açucarados devem ser evitados porque impactam a saúde bucal — e para pior. O motivo é que o consumo rico em açúcar pode comprometer e deixar mais sensíveis o esmalte e a dentina (tecido coberto pelo esmalte do dente).

Consumir produtos com corante

Os dentes têm uma pigmentação própria, mas existem algumas bebidas que, com o tempo, desgastam a coloração dental. É o caso do café, especialmente, e do vinho, cujos corantes deixam a impressão de envelhecimento na dentição e podem, inclusive, penetrar no esmalte e chegar a outras camadas da estrutura dental.

Neste conteúdo, você aprendeu quais são os problemas mais comuns na dentição de crianças, adolescentes, adultos e idosos — desde a perda precoce dos dentes de leite na infância até o acúmulo de tártaro em adolescente, passando pelos comuns incômodos na gengiva de pessoas mais experientes.

Além disso, percebeu que a prevenção e as consultas com o dentista ajudam a manter o sorriso saudável, enquanto maus hábitos, como fazer a escovação de maneira incorreta, fumar, beber muito café e vinho, comer doces e roer as unhas, podem prejudicar o equilíbrio oral.

Essas informações foram úteis para você entender quais são os problemas nos dentes que atingem as pessoas em todas as fases da vida? Então, comente nesta postagem o que você faz para manter a sua saúde bucal!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário