cirurgia maxilar

Você conhece a cirurgia ortognática ou maxilar? Saiba os problemas que ela resolve!

Tempo de leitura 9 min

Muitos pacientes sofrem ao mastigar os alimentos ou têm um incômodo com o posicionamento do maxilar. Especialistas calculam que 1/4 da população apresenta desarmonia facial e necessita realizar algum tratamento. Indicada para esses casos, a cirurgia maxilar, ou ortognática, resolve problemas como articulação da fala, dificuldade na mastigação, alteração na respiração e descontentamento estético.

Neste conteúdo, você vai compreender o que é essa cirurgia, como ela funciona, para quem é indicada e quais são as contraindicações do método.

Comece a leitura agora mesmo para tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto!

O que é a cirurgia ortognática e para quem é indicada?

Antes de conhecer os benefícios da cirurgia ortognática, é preciso entender que o termo vem do latim e significa, literalmente, correção (“orto”) dos maxilares (“gnatos”). Para deixar a explicação mais detalhada, a intervenção reposiciona a maxila, aperfeiçoando a estética do rosto e a função da mordida.

A indicação geral é para adultos que sofrem com alteração nos maxilares, devido ao crescimento inadequado de ossos da face. Em resumo, a cirurgia tem um primeiro objetivo funcional de corrigir a mordida — a oclusão —, mas provoca efeitos estéticos, uma vez que o reposicionamento maxilar dá um novo contorno, geralmente melhor, para a face do indivíduo.

Sabe como o processo é realizado? Inicialmente, o dentista faz um planejamento no computador em um software, que indica precisamente os locais que serão operados, prevendo inclusive alguns resultados.

Feita em um hospital, a operação milimétrica não deixa cicatriz no rosto, uma vez que a área operada está na parte interna da boca — maxila e mandíbula, principalmente.

O cirurgião bucomaxilofacial resolve a disfunção na clínica em um procedimento que pode durar de 2 a 4 horas, a depender do caso apresentado pelo paciente. Após a correção do maxilar, pede-se para que o indivíduo tenha alguns cuidados.

No pós-operatório, a recomendação é de repouso entre duas e três semanas, ou seja, é preciso se afastar temporariamente das atividades do dia a dia. Na primeira semana, a pessoa se alimenta de líquidos e, com o passar dos dias, começa a comer alimentos pastosos. Atividades com gasto excessivo de energia são liberadas após um período de seis a nove meses do pós-operatório.

Quais os benefícios de se submeter ao procedimento?

Ao adequar o posicionamento do maxilar, a técnica traz outros benefícios para o paciente. Problemas como dificuldade ao mastigar, dificuldades de articulação da fala, insatisfação estética e problemas de respiração são atenuados ou resolvidos com a realização do método ortodôntico.

Melhor articulação da fala

A boca é responsável por inúmeras funções, desde a mastigação até a fonação. Quando o paciente apresenta uma irregularidade no crescimento maxilar, os órgãos que produzem a fala podem ser afetados, devido ao mau posicionamento da musculatura e à dificuldade respiratória.

O procedimento ortognático devolve a extensão vocal ao paciente ao reposicionar a maxila, reverberando na harmonia das cavidades nasal e oral e ampliando a potência da voz.

Menos dificuldades na mastigação

Se você tem a maxila em tamanho desproporcional à estrutura facial, uma das principais disfunções decorrentes da alteração se dá na hora de mastigar e engolir alimentos. Muitos pacientes sentem dificuldade ao comer e têm uma deglutição difícil.

Com a cirurgia, os músculos faciais deixam de causar dor na mandíbula e você melhora a mastigação e a digestão.

Respiração facilitada

Ao reposicionar o maxilar em relação à face, a cirurgia ortognática melhora a capacidade respiratória. Mas você deve estar se perguntando como, não é mesmo?

A resposta é simples: a reorganização óssea desobstrui a via respiratória da pessoa, ampliando a respiração com os ossos faciais posicionados no local adequado.

Como consequência, após a operação, o indivíduo sofre menos distúrbios durante o sono e consegue equilibrar o metabolismo.

Benefício estético

Além dos ganhos funcionais na respiração, mastigação e digestão, a cirurgia ortognática pode ser um tratamento adequado para quem sofre com descontentamento estético. O crescimento exagerado de ossos na boca pode causar assimetria facial.

Se for esse o caso, a intervenção consegue realocar a mandíbula e a maxila, aperfeiçoando a simetria do rosto do indivíduo em algumas semanas.

O processo, porém, deve sempre ser planejado de forma ampla, uma vez que os resultados tocam vários pontos da face.

Para se ter uma ideia sobre o impacto estético da intervenção, quando se mexe no posicionamento do queixo, por exemplo, pode-se notar uma diferença no nariz, que antes aparecia arqueado e então passa a ficar reto.

Fora isso, o desconforto com a aparência pode levar a danos psicológicos e à depressão. O processo devolve autoestima para o indivíduo e o ajuda a ter mais segurança com o próprio corpo.

Quais as contraindicações da cirurgia?

A primeira contraindicação diz respeito à idade: a cirurgia deve ser procurada após os 17 anos, pois na fase adulta a formação óssea deixa de apresentar alterações.

Além disso, o procedimento deve ser evitado em pessoas com alergia à anestesia geral, com distúrbios neurológicos e, por fim, não é indicado para indivíduos que não se adaptem à restrição alimentar no pós-operatório.

Qual a importância de um bom diagnóstico?

A cirurgia maxilar é um procedimento bastante invasivo e que pode alterar a estrutura de mastigação e da arcada dos dentes. Por isso o diagnóstico deve ser bem realizado para garantir que o paciente tenha melhora considerável em relação ao seu quadro antes da cirurgia.

Nesse sentido, o diagnóstico deve ser feito com ajuda multidisciplinar, por exemplo, contando com a participação de um ortodontista e um cirurgião buco-maxilo-facial.

Além disso, é necessário realizar uma série de exames que irá trazer mais informações sobre a necessidade da cirurgia maxilar.

Após a verificação do diagnóstico feito pelos especialistas a cirurgia maxilar geralmente será recomendada para os seguintes casos:

  • dificuldade de abertura e respiração bucais;
  • apneia do sono;
  •  mordida aberta;
  •  deformidade facial;
  •  mandíbula posicionada de forma incorreta;
  •  oclusão alterada;
  •  dificuldades de fala e mastigação;
  •  apinhamento nos dentes de maneira excessiva;

Para todos esses casos, a equipe médica deve avaliar situação por situação para realizar um diagnóstico preciso. Por ser que o paciente tenha mais um caso que justifique a cirurgia. Mas também pode haver paciente que apresenta um caso com baixa gravidade que pode perfeitamente ser resolvido por meio de outro método não cirúrgico.

Por que fazer a intervenção com um profissional experiente?

Você viu como a cirurgia é detalhada e pode impactar a sua saúde bucal para melhor, ainda que haja casos de contraindicação? Para não correr um risco desnecessário e ter a garantia de que o procedimento será feito por quem domina a técnica, busque sempre a ajuda de um dentista competente e de uma clínica bem equipada.

O ideal é que você procure um cirurgião dentista especializado em cirurgia e traumatologia bucomaxilofacial, que tem experiência e estudos avançados nesse tipo de intervenção na maxila.

Como é o processo operatório?

Para realizar a cirurgia maxilar é necessário que a pessoa faça uso de aparelhos ortodônticos por pelo menos dois anos. Esse tratamento permite ordenar posição dos dentes e também corrigir a função da estrutura óssea.

Após a utilização do aparelho ortodôntico é realizada uma simulação da cirurgia com propósito de visualizar como ficará o resultado pós-cirúrgico. Nessa fase, serão observados os resultados, inclusive, o estético.

Logo em seguida, o especialista ou equipe especializada realiza o reposicionamento da mandíbula através de um procedimento cirúrgico dentro da própria boca. Nesse procedimento é feito um corte do osso e fixado em outro lugar por meio de estrutura de titânio.

Essa cirurgia de maxilar para ser bem realizada necessita também de um bom pós cirúrgico. Veremos detalhes no próximo tópico.

Como é feita a recuperação da cirurgia?

O pós-cirúrgico da cirurgia maxilar geralmente dura de 6 a 12 meses e a pessoa retorna para casa em até dois dias depois de realizado o procedimento.

Nessa fase, o paciente fará uso de remédios receitados pelo médico e dentista para alívio da dor. Outros cuidados também são necessários, como por exemplo:

  •  manter em repouso absoluto nas primeiras duas semanas;
  •  utilizar compressas frias para aplicar na região operada;
  • adotar uma alimentação líquida e pastosa pelo menos nos primeiros três meses;
  •  evitar realizar esforços e tomar banho de sol;
  •  realizar sessões de fisioterapia para reorganizar a mastigação.

Nessa última recomendação – realização da fisioterapia – é fundamental para diminuir inclusive a dor e o inchaço local. Geralmente a fisioterapia pode ser iniciada logo no segundo dia após a cirurgia, prolongando por todo tratamento de recuperação.

Por exemplo, após 15 dias de cirurgia a fisioterapia consegue ampliar a movimentação da articulação temporomandibular e facilitar a abertura da boca. Além disso, facilita muito o processo mastigatório.

Ainda, se o paciente achar necessário, pode ser recomendado durante o pós-cirúrgico a drenagem linfática.

Esse tipo de procedimento ajuda a reduzir o inchaço do rosto e pode ser realizado em várias sessões. O resultado estético positivo é favorável.

Neste conteúdo, você descobriu o que é a cirurgia ortognática, intervenção ideal para pacientes que sofrem com dificuldades na articulação da fala, na mastigação e na respiração, além de descontentamento estético.

Além disso, ficou ciente da importância de um profissional experiente e de uma clínica equipada para a reabilitação bucal.

Agora que você sabe o que é, para que serve, quais são as contraindicações e por que contar com um dentista qualificado para realizar a cirurgia ortognática, entre em contato com a OdontoCompany para marcar a sua avaliação o mais rápido possível!

Quer receber mais conteúdos como esse?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

3 Comentários

  1. Oi me chamo Eva e sonho em fazer uma ortognatica mas não tenho condições de fazer por que o custo e muito alto e devido ao meu problema perdi a maioria dos dentes estou tentando conseguir em faculdades mais e muito difícil tem classe lll.e sonho em fazer meus implantes e em seguida a ortognatica

    1. Eva, tudo bem? Seu sonho ainda pode se tornar real, Eva! Procure uma de nossas unidades pelo link a seguir, e veremos o que podemos fazer: https://odontocompany.com/ 😀

      1. Este tb e o meu sonho, a cirurgia ortoguinatica ,mas tb não tenho condições

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.