Implantes

Já ouviu falar na cirurgia ortognática? Saiba os problemas que ela resolve

abril 24, 2019
Tempo de leitura 6 min

Muitos pacientes sofrem ao mastigar os alimentos ou têm um incômodo com o posicionamento do maxilar. Especialistas calculam que 1/4 da população apresenta desarmonia facial e necessita realizar algum tratamento. Indicada para esses casos, a cirurgia ortognática resolve problemas como articulação da fala, dificuldade na mastigação, alteração na respiração e descontentamento estético.

Compreenda neste conteúdo o que é essa cirurgia, como ela funciona, para quem é indicada e quais são as contraindicações do método. Comece a leitura agora mesmo para tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto!

O que é a cirurgia ortognática e para quem é indicada?

Antes de conhecer os benefícios da cirurgia ortognática, é preciso entender que o termo vem do latim e significa, literalmente, correção (“orto”) dos maxilares (“gnatos”). Para deixar a explicação mais detalhada, a intervenção reposiciona a maxila, aperfeiçoando a estética do rosto e a função da mordida.

A indicação geral é para adultos que sofrem com alteração nos maxilares, devido ao crescimento inadequado de ossos da face. Em resumo, a cirurgia tem um primeiro objetivo funcional de corrigir a mordida — a oclusão —, mas provoca efeitos estéticos, uma vez que o reposicionamento maxilar dá um novo contorno, geralmente melhor, para a face do indivíduo.

Sabe como o processo é realizado? Inicialmente, o dentista faz um planejamento no computador a partir de um software que indica precisamente os locais que serão operados, prevendo inclusive alguns resultados. Feita em um hospital, a operação milimétrica não deixa cicatriz no rosto, uma vez que a área operada está na parte interna da boca — maxila e mandíbula, principalmente.

O cirurgião bucomaxilofacial resolve a disfunção na clínica em um procedimento que pode durar de 2 a 4 horas, a depender do caso apresentado pelo paciente. Após a correção do maxilar, pede-se para que o indivíduo tenha alguns cuidados.

No pós-operatório, a recomendação é de repouso entre duas e três semanas, ou seja, é preciso se afastar temporariamente das atividades do dia a dia. Na primeira semana, a pessoa se alimenta de líquidos e, com o passar dos dias, começa a comer alimentos pastosos. Atividades com gasto excessivo de energia são liberadas após um período de seis a nove meses do pós-operatório.

Quais os benefícios de se submeter ao procedimento?

Ao adequar o posicionamento do maxilar, a técnica traz outros benefícios para o paciente. Problemas como dificuldade ao mastigar, dificuldades de articulação da fala, insatisfação estética e problemas de respiração são atenuados ou resolvidos com a realização do método ortodôntico.

Melhor articulação da fala

A boca é responsável por inúmeras funções, desde a mastigação até a fonação. Quando o paciente apresenta uma irregularidade no crescimento maxilar, os órgãos que produzem a fala podem ser afetados, devido ao mau posicionamento da musculatura e à dificuldade respiratória.

O procedimento ortognático devolve a extensão vocal ao paciente ao reposicionar a maxila, reverberando na harmonia das cavidades nasal e oral e ampliando a potência da voz.

Menos dificuldades na mastigação

Se você tem a maxila em tamanho desproporcional à estrutura facial, uma das principais disfunções decorrentes da alteração se dá na hora de mastigar e engolir alimentos. Muitos pacientes sentem dificuldade ao comer e têm uma deglutição difícil. Com a cirurgia, os músculos faciais deixam de causar dor na mandíbula e você melhora a mastigação e a digestão.

Respiração facilitada

Ao reposicionar o maxilar em relação à face, a cirurgia ortognática melhora a capacidade respiratória. Mas você deve estar se perguntando como, não é mesmo?

A resposta é simples: a reorganização óssea desobstrui a via respiratória da pessoa, ampliando a respiração com os ossos faciais posicionados no local adequado. Como consequência, após a operação, o indivíduo sofre menos distúrbios durante o sono e consegue equilibrar o metabolismo.

Benefício estético

Além dos ganhos funcionais na respiração, mastigação e digestão, a cirurgia ortognática pode ser um tratamento adequado para quem sofre com descontentamento estético. O crescimento exagerado de ossos na boca pode causar assimetria facial.

Se for esse o caso, a intervenção consegue realocar a mandíbula e a maxila, aperfeiçoando a simetria do rosto do indivíduo em algumas semanas. O processo, porém, deve sempre ser planejado de forma ampla, uma vez que os resultados tocam vários pontos da face.

Para se ter uma ideia sobre o impacto estético da intervenção, quando se mexe no posicionamento do queixo, por exemplo, pode-se notar uma diferença no nariz, que antes aparecia arqueado e então passa a ficar reto.

Fora isso, o desconforto com a aparência pode levar a danos psicológicos e à depressão. O processo devolve autoestima para o indivíduo e o ajuda a ter mais segurança com o próprio corpo.

Quais as contraindicações da cirurgia?

A primeira contraindicação diz respeito à idade: a cirurgia deve ser procurada após os 17 anos, pois na fase adulta a formação óssea deixa de apresentar alterações. Além disso, o procedimento deve ser evitado em pessoas com alergia à anestesia geral, com distúrbios neurológicos e, por fim, não é indicado para indivíduos que não se adaptem à restrição alimentar no pós-operatório.

Por que fazer a intervenção com um profissional experiente?

Entende como a cirurgia é detalhada e pode impactar a sua saúde bucal para melhor, ainda que haja casos de contraindicação? Para não correr um risco desnecessário e ter a garantia de que o procedimento será feito por quem domina a técnica, busque sempre a ajuda de um dentista competente e de uma clínica bem equipada.

O ideal é que você procure um cirurgião dentista especializado em cirurgia e traumatologia bucomaxilofacial, que tem experiência e estudos avançados nesse tipo de intervenção na maxila.

Neste conteúdo, você descobriu o que é a cirurgia ortognática, intervenção ideal para pacientes que sofrem com dificuldades na articulação da fala, na mastigação e na respiração, além de descontentamento estético. Além disso, ficou ciente da importância de um profissional experiente e de uma clínica equipada para a reabilitação bucal.

Agora que você sabe o que é, para que serve, quais são as contraindicações e por que contar com um dentista qualificado para realizar a cirurgia ortognática, entre em contato com a OdontoCompany para marcar a sua avaliação o mais rápido possível!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário