Ortodontia

Prognatismo e retrognatismo: você conhece a diferença?

setembro 6, 2019
Tempo de leitura 6 min

Problemas com prognatismo e retrognatismo são bastante complexos; aliás, esses são os distúrbios mais complicados ligados à ortodontia. Isso porque, além de prejudicar a estética facial do paciente, esses problemas ainda prejudicam a respiração e a mastigação do indivíduo. 

Pessoas que passam por um desses distúrbios podem desenvolver — além dos problemas na dentição — depressão, devido à baixa estima causada pela assimetria facial que ocorre em quem sofre de qualquer um dos quadros. A boa notícia é que há tratamento para o prognatismo e para o retrognatismo.

Mas o que são essas duas disfunções? Qual a diferença entre elas e quais as opções de tratamento disponíveis? São essas e outras perguntas que responderemos ao longo deste post. Acompanhe! 

O que é prognatismo?

O prognatismo consiste em uma anormalidade no crescimento do osso mandibular. Quando isso acontece, o osso da mandíbula cresce demasiadamente, projetando o queixo para frente, causando uma desarmonia na face, além de problemas dentários. 

Pacientes com prognatismo apresentam mordida cruzada e um perfil facial côncavo. O lábio inferior de quem sofre com essa anomalia é mais volumoso e avançado. Essas características deixam o paciente com uma aparência de pessoa raivosa.

O que é retrognatismo?

O retrognatismo, entretanto, é o contrário do prognatismo, pois o paciente com esse problema apresenta um crescimento ósseo insuficiente. Nesse caso, o queixo fica para trás e afundado, o que causa uma desarmonização facial desagradável no rosto do paciente. 

A principal característica do retrognatismo é a vedação anterior (lábio inferior ocluindo com os incisivos superiores) e músculo mentoniano hiperfuncional.

Quais são as principais diferenças entre prognatismo e retrognatismo?

A principal diferença entre prognatismo e retrognatismo é o crescimento do tecido ósseo. Enquanto no primeiro caso, o osso mandibular tem um crescimento excessivo, no segundo, o desenvolvimento ósseo é menor. 

Além das diferenças estéticas, há outras distinções em relação às alterações causadas por esses problemas. Pacientes com quadro de prognatismo apresentam um fechamento dos incisivos inferiores no mesmo nível ou anterior aos incisivos superiores. Sintomas muito comuns em pessoas com prognatismo são: ruídos articulares e dores de cabeça, nos ouvidos e nos músculos.

O prognatismo ainda causa problemas no encaixe dos dentes, prejudicando a mastigação e a respiração do indivíduo.

Em casos de retrognatismo, é comum que o paciente apresente um acúmulo de tecidos moles (papada), problemas na ATM (articulação temporomandibular), ronco, apneia, problemas na mastigação e na respiração. Dificuldades na fala e perda precoce de dentes também são características comuns de pacientes com esse quadro.

Quais são as causas desses problemas?

As causas do prognatismo e retrognatismo são diversas, sendo que na maior parte dos casos, o desenvolvimento de uma das disfunções se deve a fatores genéticos e hereditários. No entanto, fatores funcionais também podem contribuir com o desenvolvimento do problema. Veja quais são eles:

  • hábito de chupar os dedos ou chupeta;
  • alterações respiratórias, como a respiração bucal;
  • desvio da funcionalidade do rosto;
  • fatores hormonais, traumatismos e más-formações congênitas também podem ser associadas às causas do prognatismo.

Então, em situações que há algum membro da família que apresente quadro de prognatismo ou retrognatismo, o ideal é ficar alerta ao desenvolvimento maxilar das crianças. Isso porque essa alteração pode aparecer a qualquer momento, e quanto mais cedo for feito o diagnóstico, melhor para o paciente.

Como é possível tratar tais problemas?

Apesar do fato de prognatismo e retrognatismo serem quadros distintos, eles se caracterizam pela má-formação óssea. Em ambos os casos, o paciente sofre com o desalinhamento dentário e com problemas na fala e na mastigação. Por isso, as opções de tratamento são as mesmas.

Na maior parte das circunstâncias, são necessários mais de um procedimento para resolver o problema. Veja as opções de tratamento disponíveis.

Tratamento preventivo

Quando a criança ainda tem a dentição de leite e apresenta anormalidade no crescimento ósseo, o dentista indica o melhor procedimento para evitar que o problema se agrave. Nesse caso, o tratamento pode descartar uma cirurgia no futuro.

Cirurgia ortognática

A cirurgia ortognática é necessária na maioria dos casos de prognatismo e retrognatismo, quando apenas a ortodontia não resolve o problema. O procedimento reposiciona os maxilares, deixando o rosto mais harmônico e corrigindo a posição dos dentes.

Durante a cirurgia, o dentista solta o osso da mandíbula e o reposiciona com a ajuda de parafusos e placas, geralmente de titânio.

Essa cirurgia é feita em ambiente hospitalar, por um profissional especializado. Apesar de ser um procedimento complexo, não há marcas ou cicatrizes no rosto, pois a cirurgia é feita por dentro da boca.

Uso de aparelho ortodôntico

O uso do aparelho ortodôntico geralmente é feito em conjunto com a cirurgia para reposicionamento dos ossos da mandíbula. Ele pode ser usado tanto antes quanto depois do procedimento cirúrgico, isso depende de cada caso.

Quando os dentes estão muito desalinhados, com alturas diferentes e tortos, fica difícil fazer o encaixe dos ossos. Nesses casos, é preciso fazer o alinhamento dentário antes. Mas somente o dentista é capaz de dizer qual procedimento será necessário primeiro, depois de fazer uma análise do paciente e solicitar os devidos exames para verificar a gravidade da situação.

Quais os benefícios de recorrer ao tratamento para corrigir o prognatismo e o retrognatismo?

Em primeiro plano, o maior benefício para os pacientes é o ganho estético, visto que essas anomalias causam uma desarmonização facial muito grande. Nesses casos, a cirurgia e o uso do aparelho transformam totalmente a face do paciente, deixando seu rosto mais harmônico e mais bonito.

Há casos de pessoas que transformaram totalmente sua aparência depois do tratamento. Além do ganho estético, o paciente ainda ganha qualidade de vida, pois sua autoestima é restabelecida.

No mais, problemas respiratórios, mastigatórios e de fala são corrigidos depois da realização do tratamento. Assim, mesmo que seja demorado e a cirurgia um pouco complexa, no final das contas o resultado compensa muito, pois a vida do paciente se transforma para melhor.

Como você viu, o prognatismo e o retrognatismo não prejudicam apenas a estética facial do paciente, mas sua autoestima e sua saúde bucal. Por isso, se você sofre com o problema, não hesite em procurar ajuda. Mas lembre-se de procurar por profissionais qualificados.

Gostou do post e quer ficar por dentro de todos os assuntos relacionados à estética e saúde bucal? Então, assine nossa newsletter para receber notícias diretamente em seu e-mail.

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário